• Palato

Agosto dourado: o mês do aleitamento materno

Agosto é um mês dedicado à promoção, apoio e incentivo ao aleitamento materno e

recebe o adjetivo da cor dourada para simbolizar o ouro e nos lembrar que amamentação é padrão ouro na alimentação dos bebês! Não existe nada que se compare ao poder e sabedoria da natureza humana!


De 01 a 07 de agosto também é comemorada a Semana Mundial de Aleitamento

Materno (SMAM 2020) e, para celebrar estas datas tão importantes para a nutrição e saúde de nossos pequenos, trouxe os mitos e verdades mais comuns entre mães e redes de apoio no texto de hoje.


1) A gestante precisa preparar as mamas para a amamentação: estimular ou massagear os mamilos, passar bucha e tomar sol na região das mamas.


MITO! Não é recomendado massagear e/ou estimular os mamilos durante a gestação, Isso pode levar a contrações do útero antes da hora do parto. O uso de bucha ou toalha nos mamilos são práticas antigas e sem embasamento científico que podem ferir a região e dificultar a amamentação. Já o banho de sol, apesar de ser natural, se feito em horário inadequado e sem proteção, pode levar a queimaduras solares e, consequente, provocar ardor e desconforto!



2) Gestante já deve apresentar produção de leite?


MITO! Algumas mães, no final da gestação, podem perceber a região úmida ou a roupa melada, mas a maioria das mulheres só passa a produzir o colostro (nome dado à secreção dos primeiros dias pós-parto e saída da placenta). A queda dos hormônios da gestação e a produção dos hormônios da lactação promovem a famosa “descida do leite” ou apojadura e, consequentemente, a transição do colostro para o leite maduro (entre 3 e 10 dias).



3) O bebê deve mamar sempre que ele quiser e o quanto ele quiser.


VERDADE! Essa prática é chamada de livre demanda, na qual o bebê deve ser levado a mama sempre que solicitar e retirado somente quando soltar a mama ou dormir. Desta forma, garantimos a nutrição adequada do bebê e o ajuste da produção de leite da mãe!



4) O bebê precisa mamar a cada 3 horas


DEPENDE! No primeiro mês evitamos que o bebê passe mais de 3 horas sem mamar, pois ainda são novinhos, dormem muito e podem apresentar dificuldade de ganho de peso ou episódios de hipoglicemia. Mas, após o primeiro mês, com a amamentação bem estabelecida e ganho de peso adequado, alguns bebês podem espaçar um pouco mais entre as mamadas. Faça as consultas periódicas ao pediatra e com uma nutricionista infantil para um acompanhamento seguro.



5) O bebê só deve ficar 15 minutos em cada mama, mais do que isso ele vai ficar mimado


MITO! Como respondido na questão anterior, o bebê deve mamar em livre demanda, durante o tempo que for necessário. Cada mãe apresenta um volume de produção de leite (que pode variar de uma mama para outra) e cada bebê possui força e eficiência de sucção única que vai evoluir conforme o desenvolvimento. O bebê pode ficar satisfeito com uma só mama ou pode precisar das duas. O importante é observar se, da forma que está sendo praticado, o bebê esteja ganhando peso, com urina e evacuações frequentes e desenvolvimento esperado para idade. Esqueça o relógio e lembre que seio não é estoque, é fábrica! Quanto mais o bebê mama, mais leite o corpo produz!



6) O bebê só mama quando tem fome


MITO! O seio materno não é só nutrição. Seio materno é calor, conforto, aconchego,

proteção etc. O bebê pode solicitar a mãe quando sentir frio, sono, dor, medo, soluço ou fome! Mãe e bebê foram ligados 9 meses pelo cordão umbilical e, no pós-parto, este elo permanece através do seio.



7) Mulheres com redução das mamas ou prótese de silicone não pode amamentar


MITO! Mulheres com cirurgia mamária podem apresentar mais dificuldade para amamentar em alguns aspectos, mas isso não é um impedimento para que a amamentação ocorra! O importante é avaliar o tempo que foi feita a cirurgia, o tipo de incisão realizada e o quanto de tecido mamário foi comprometido (na maioria das vezes não temos esta informação). A maioria das mulheres consegue amamentar exclusivamente e outras precisarão complementar com fórmula artificial, mas isso deve ser avaliado e prescrito por seu pediatra em conjunto com sua consultora em aleitamento materno com técnicas que não prejudiquem o aleitamento materno. Acredite no seu corpo e no poder do seu leite, pratique o pensamento positivo desde a gestação (não dê ouvidos a comentários ou histórias negativas) e tenha uma consultora em amamentação pra chamar de sua! Informação e acompanhamento especializado fazem toda diferença para o sucesso do aleitamento materno!



8) Chupeta, mamadeira e bicos artificiais podem prejudicar a amamentação?


VERDADE! É comprovado que o uso de bicos artificiais traz grande risco de confusão de bico, desmame precoce, podem contribuir com o surgimento de machucados e fissuras no mamilo (pega e sucção inadequada na mama) e risco de redução da produção de leite (quanto mais tempo o bebê fica na chupeta, menos tempo ele estimula o seio materno). Além disso, os bicos artificiais não auxiliam no conforto emocional do bebê, podem prejudicar o desenvolvimento orofacial, dentição e fala e, quando mal higienizados, são foco de fungos e bactérias, que levam a quadros de infecção, diarreia, vômito, febre, cólicas, aftas etc.


A melhor forma de se preparar para amamentação é buscando informação de qualidade!

Leia, converse com mães que já passaram por esta fase, participe de grupos de apoio ao aleitamento materno (redes sociais e presenciais), visite o banco de leite mais próximo de sua residência e tenha uma consultora em amamentação para te orientar!


Renata Greco

Nutricionista materno-infantil e consultora em aleitamento materno.

Entre para o clube, baixe o app do Palato, aproveite os descontos e conteúdos exclusivos.

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram

Um projeto do Palato.com.br

EMX©2020