• Palato

Páscoa: mitos e verdades sobre o consumo de chocolate por crianças

Vamos começar nosso texto de hoje falando um pouco sobre história e curiosidades? A Páscoa é uma tradicional comemoração realizada nas religiões cristãs que relembram a crucificação e morte de Jesus Cristo e celebram sua ressurreição. O ovo é um dos símbolos mais utilizados, que representa a fertilidade, mas o mais curioso é como esse símbolo se tornou um delicioso presente de chocolate!


Na Europa, mesmo antes de Cristo, as pessoas tinham o costume de trocar ovos em meados de março e abril para comemorar a troca das estações. Quando a Páscoa cristã começou a ser celebrada, a troca de ovos começou a fazer parte da Semana Santa. Naquela época as pessoas trocavam ovos de galinha decorados.


A tradição dos ovos de chocolate começou na França (século XIX) e, nesta época, eles eram muito duros e amargos. Com o tempo, as técnicas de fabricação melhoraram e começaram a surgir os ovos ocos e recheados como os que temos hoje. Eles rapidamente se tornaram populares e continuam sendo a tradição favorita das crianças nesta época.


A grande questão é: crianças e chocolate combinam?


No texto de hoje, trouxe algumas das principais dúvidas de pais e mães sobre este tema. Vamos conferir?


Bebês e crianças não podem comer cacau?


Mito. O cacau é uma fruta, e o principal ingrediente na produção do chocolate. Crianças a partir da introdução alimentar podem comer cacau (fruta) ou cacau em pó 100% em receitas ou preparações. Já o chocolate, que, além do cacau, apresenta leite, açúcar e outros ingredientes, só deve ser oferecido para crianças maiores de 2 anos ou mais.



Após os 2 anos meu filho pode comer chocolate à vontade?


Mito. Os chocolates são produzidos a partir do cacau, que é uma fruta com propriedades nutritivas de excelente qualidade, mas apresentam também açúcar, leite e outros ingredientes que o tornam um alimento hipercalórico. A ingestão de chocolate em excesso pode causar má digestão, desconfortos gastrointestinais, sobrepeso, obesidade infantil, diabetes infantil, entre outras comorbidades.


Se a criança comer muito chocolate vai ter alergia?


Mito. As alergias não estão ligadas à quantidade e sim a algum ingrediente presente no alimento.


Crianças com intolerância a lactose ou alergia à proteína do leite de vaca (APLV) não podem comer chocolate?


Verdade. Nos casos de intolerância a lactose existem as versões de chocolate 0% lactose que podem ser consumidas em pequenas quantidades. Já para os APLVs existem opções de chocolates veganos, produzidos sem ingredientes de origem animal que são excelentes opções para esta época do ano.


Chocolate em excesso pode prejudicar o humor ou sono da criança?


Verdade. O chocolate possui substâncias estimulantes e açúcar que podem deixar a criança mais agitada, irritada e com má qualidade do sono.


Controlar o consumo de doces e chocolates pelas crianças não é uma tarefa fácil durante a Páscoa! Uma alternativa é fugir do convencional e presentear as crianças com opções mais saudáveis, brinquedos educativos e menos chocolate! O chocolate não é proibido, mas é preciso saber equilibrar para que não exagere no consumo!

Vale lembrar que não é recomendado oferecer chocolate, doces e açúcares para crianças menores de 2 anos, que ainda estão construindo seu paladar e hábitos alimentares. Pensando nisso, trouxe alternativas para todas as idades!


A partir de 6 meses:


  • Embrulhe uvas sem semente em papel alumínio ou papel decorado e crie pequenos “ovinhos” de uva para brincar e se deliciar;

  • Frutas secas também são excelentes opções e fazem o maior sucesso entre os pequenos. Coloque as frutas em saquinhos, caixas e cestinhas decoradas com o tema!


A partir de 9 meses:


  • Bombom saudável feito com frutas secas e oleaginosas: bater no processador a mesma proporção de frutas secas e de oleaginosas de sua preferência. Com essa massa enrole bolinhas com a palma das mãos e passe no cacau em pó 100%, no coco ralado, ou em farofa de castanhas e sirva em forminhas de papel. Sugestões: uva-passa com castanha-de-caju, damasco com amêndoas, ameixa seca com nozes;

  • Brigadeiro fake de banana com cacau: em uma panela, leve ao fogo 1 banana amassada, 1 colher de chá de cacau em pó 100% e 1 colher chá de coco ralado e mexa até engrossar. Deixe esfriar e enrole bolinhas com a palma das mãos, passe no cacau em pó 100% ou no coco ralado e sirva em forminhas de papel;

  • Bolo ou cupcakes de cenoura substituindo o açúcar da receita por purê de uva-passa e, se quiser incrementar ainda mais, pode servir com uma calda com cacau em pó 100% e óleo de coco.


A partir de 2 anos, se a criança já tem acesso ao chocolate:


  • Biscoitos ou cookies caseiros com gotas de chocolate;

  • Biscoitos ou cookies caseiros passados no chocolate meio amargo;

  • Frutas ou espetinhos de frutas passados no chocolate meio amargo. Ex: uva, morango e banana são ótimas combinações;

  • Frutas secas passadas no chocolate. Ex: tâmara e damasco.


Se optar pelo tradicional ovo de chocolate prefira sempre as versões com maior teor de cacau (acima de 65%), pois são mais saudáveis. Outra dica importante é o tamanho do ovo, as versões menores são mais fofas e simpáticas e garantem que a criança coma em menor quantidade!


Uma Feliz Páscoa para todos e que a diversão, as brincadeiras e a construção de memórias afetivas estejam sempre acima dos presentes e doces!


Renata Chimenti Del Greco

Nutricionista materno-infantil